quinta-feira, 26 de abril de 2012

O Diálogo : DISCURSO DIRETO e INDIRETO


É de vital importância para o ficcionista dominar estas duas estruturas do diálogo e, mais ainda, conhecer as relações existentes entre elas. Na transposição do estilo direto para o indireto e vice-versa, realizamos alterações na estrutura do período, das quais vamos destacar as mais importantes:
1. O Foco Narrativo - O discurso direto apresenta, sempre, a fala da personagem em primeira pessoa. No indireto usa-se a terceira pessoa, em vez da primeira ou segunda:
— (eu) Tenho pressa — disse o rapaz (discurso direto).
O rapaz disse que (ele) tinha pressa (discurso indireto).
Ela respondeu:
— (eu) Comprei um lindo vestido (discurso direto).
Ela respondeu que (ela) comprara um lindo vestido (discurso indireto).
2. Os Tempos Verbais - Ao transformar o discurso direto em indireto, você estará transcrevendo, no indireto, algo que alguém já disse. Portanto, o tempo será sempre passado em relação ao direto. Dessa forma, no indireto:
a) Verbo no pretérito imperfeito em vez do indicativo:
— Não bebo dessa água - afirmou a menina. (direto: presente do indicativo)
A menina afirmou quer não bebia daquela água. (indireto: pretérito imperfeito)
b) Verbo no futuro do pretérito, em vez de futuro do presente:
 Farei o possível - disse o moço. (direto: futuro do presente)
O moço disse que faria o possível. (indireto: futuro do pretérito)
c) Verbo no futuro do pretérito, em vez de futuro do presente:
Ele confessou:
 Irei ao jogo. (direto: futuro do presente)
Ele confessou que iria ao jogo. (indireto: futuro do pretérito)
d) Verbo no pretérito imperfeito do subjuntivo, em vez do imperativo:
Aplaudam – ordenou o diretor. (direto: imperativo)
O diretor ordenou que aplaudíssemos. (indireto: pretérito imperfeito do subjuntivo)
3. Pronomes e Advérbios – Na fala das personagens do discurso indireto, os pronomes pessoais de 1ª pessoa (eu, nós, me, mim, comigo) e de 2ª pessoa (tu, vos, te, vos, convosco, você) devem ser substituídos pelos pronomes de 3ª pessoa (ele, ela, lhe, o, a, se, com ele, consigo):
Onde você mora? Perguntou Aguinaldo. (direto)
Aguinaldo perguntou onde ele morava. (indireto)
• Os pronomes demonstrativos (tanto de 1ª quanto de 2ª, singular ou plural) este, esta, esse, essa, isso, meu, minha, nosso, teu, tua, vosso, vossa devem, no discurso indireto, serem substituídos por pronomes de 3ª: seu, sua, aquele, aquela, aquilo:
— O que é isto? Indagou o professor ao aluno. (direto)
O professor indagou ao aluno o que era aquilo. (indireto)
4. Expressões de Tempo e Lugar – As expressões de tempo e lugar que indicarem proximidade (hoje, agora, aqui, cá) devem ser substituídas, no discurso indireto, por aquelas que designam distância: ontem, naquele instante, lá, ali.
— Venha , minha filha — disse a mãe impaciente. (direto)
A mãe, impaciente, pediu a sua filha que fosse até . (indireto)
5. No discurso indireto usamos a forma declarativa, em vez da interrogativa ou imperativa do discurso direto:
Eu ordenei-lhe: Venha imediatamente! (discurso direto)
Eu ordenei-lhe que viesse imediatamente. (discurso indireto)
Indagou o cirurgião: Qual será a verdadeira idade do doente? (direto)
Indagou o cirurgião qual seria a verdadeira idade do doente. (indireto)®Sérgio.
 Informações foram recolhidas e adaptadas ao texto de: Branca Granatic, Técnicas de Redação. Rocha Lima, Gramática Normativa da Língua Portuguesa. /Ricardo Sérgio


Obs.importante:
No discurso indireto o tempo verbal será sempre passado em relação ao discurso direto.Vide exemplos:
Verbo no presente do indicativo:
- Não bebo dessa água - afirmou a menina.
Verbo no pretérito imperfeito do indicativo:
- A menina afirmou que não bebia daquela água.
Verbo no pretérito perfeito:
- Perdi meu guarda-chuva - disse ele.
Verbo no pretérito mais-que-perfeito:
Ele disse que tinha perdido seu guarda-chuva.
Verbo no futuro do indicativo:
- Irei ao jogo.
Verbo no futuro do pretérito:
Ele confessou que iria ao jogo.
Verbo no imperativo:
- Aplaudam! - ordenou o diretor.
Verbo no pretérito imperfeito do subjuntivo:
O diretor ordenou que aplaudíssemos.


Nenhum comentário:

Postar um comentário